Imprimir Canil Haras La Pampa
04/03/2018
COLUNA DO RAFA - Espaço: uma armadilha

COLUNA DO RAFA - Espaço: uma armadilha

O espaço é uma doce armadilha que tira o nosso foco do que é realmente importante ao decidirmos ter um cão: TEMPO!

Quantos de vocês não ouviram que para ter um cão de médio ou grande porte é necessário ter um belo espaço para que ele possa brincar.

Até pouco tempo atrás, antes da chegada do Winters, eu concordava com esta afirmação. Me perguntava como as pessoas conseguiam ter Goldens, Labradores, Borders e outros cães de porte médio, grande e alta energia dentro de casas sem um grande quintal ou um apartamento.

Eu mesmo, no começo da vida do Winters, passava alguns dias num apartamento em São Paulo junto com a minha esposa e ele, exatamente neste período, eu comecei a questionar porque as pessoas não poderiam ter cães maiores, mesmo sem todo o espaço do mundo.

Portanto, este texto serve para destruir este mito. Esqueça o espaço, ele não é tão importante assim. Muito mais importante do que isso e algo que as pessoas tendem a negligenciar: O tempo.

Sim, o seu tempo é infinitamente mais importante do que a quantidade de espaço que você tem.

Com tempo você cria espaço. Por exemplo, se você conseguir organizar o seu tempo para que o seu cão tenha 1h30min de atividade de manhã e outra hora e meia no final do dia, em um parque, o cão irá utilizar a sua casa ou apartamento como simples dormitório. Uma toca aconchegante onde ele dorme tranquilo a espera da rotina que foi criada para ele.

Dentro da casa você pode aproveitar para fazer brincadeiras e jogos para testar o faro e inteligência do animal. Ou seja, utilize a casa para atividades mentais e os parques ou o seu bairro para as atividades físicas.

Se você não tem tempo, então o problema começa a ser maior. Se você já organizou a sua rotina e mesmo assim não conseguiu mais tempo, deveria ter pensado melhor antes de ter um cão. Mas se você arriscou, saiba que o dinheiro pode comprar tempo.

Com dinheiro você consegue pagar um serviço de dogwalker ou uma creche para que o seu cão passe o dia todo ou meio período correndo, brincando, aprendendo e socializando com muitos outros cães. Não tem grana? Acorde mais cedo então!

Percebe como o tempo é importante?

A ideia de ter um quintal grande ou muito espaço pode ser uma grande armadilha e um conforto para a nossa mente, apenas isso. Por conta da quantidade de espaço, as pessoas acreditam que podem deixar o cão a toa e ele mesmo irá se divertir e gastar a própria energia. Pior do que isso, é o fato destas pessoas, por conta do espaço, não criarem uma rotina para caminhar com o cão em parques ou outros lugares da cidade. O animal cresce longe de outros humanos, sons, objetos e animais. Quando adulto, muito provavelmente irá reagir de forma violenta ou temerosa quando se deparar com tudo isso.

Não é preciso ir muito longe. Uma das propostas destes textos é mostrar a vocês onde eu erro, para que vocês não cometam os mesmos erros e saiam da zona errada o mais rápido possível. Saibam que alguns meses atrás eu me mudei para São Carlos, num sítio de 24 mil metros quadrados. Muito espaço né?

Por algum tempo eu relaxei na rotina que eu tinha com o Winters. As caminhadas, que eram todos os dias, ao menos duas vezes ao dia, passaram a ser uma vez por dia. Algumas vezes eu substituía as caminhadas por brincadeiras e a piscina. E meus amigos, nada substitui a caminhada de migração.

O Winters começou a passar mais tempo a toa e eu achava lindo vê-lo livre, correndo e fuçando de um lado para o outro.

Também diminuí o ritmo de treinos de novos comandos e aprimoramento dos comandos que ele já havia aprendido.

Como estamos numa zona rural, os parques cheio de pessoas, bicicletas, crianças e outros animais, foram trocados por um condomínio tranquilo, com quase ninguém nas ruas.

Os cães que são nossos vizinhos, são o padrão de todos os cães de chácaras e sítios: Latem o tempo todo, para qualquer coisa que faça ruído ou caminhe.

O Winters estava com sete meses, em parte de sua formação como cão adulto, e começou a aprender que deveria latir ou se estressar ao ver outros cães. Exatamente o contrário do que estava acostumado a fazer.

Demorei para perceber isso, até porque ele continuou extremamente obediente aos nossos outros costumes e ensinamentos. Mas eu percebi quando ele começou a tornar-se ansioso demais para se aproximar de outros cães, além de apresentar sinais de dominância.

O diagnóstico foi rápido, o Winters deixou de conviver com cães equilibrados e passou a aprender com os cães frustrados, que são largados no enorme espaço de suas propriedades.

Quando o cão é deixado desta maneira, ele toma conta, se torna o líder, toma a frente porque você não está presente no território, ele sim. Ele recupera boa parte dos instintos de sobrevivência para defender o território, busca e encontra comida (mesmo que seja abacate) para enterrar e etc.

Quando a parte “instinto” começa a tomar a frente da parte “treinada”, a mente do cão começa a responder de forma instintiva onde deveria agir como havia sido treinada, as vezes isso é bem ruim e pode causar problemas.

Junto com o Guilherme do Social Pet, nosso parceiro aqui em São Carlos, estou recuperando os melhores momentos do Winters, e aproveitando para socializar e educar o Speirs, que poderia ter aprendido os hábitos ruins do irmão.

O fato meus amigos, é que o espaço é uma doce armadilha que tira o nosso foco do que é realmente importante ao decidirmos ter um cão: TEMPO!

Organizem sua rotina para que vocês criem atividades e rituais para os seus cães, independente se você mora numa fazenda ou num apartamento.


Rafael Meireles é proprietário do
Winters e Speirs, Australian Cattle Dogs
filhotes da Brises, nascidos no Canil HLP.
Escreve periodicamente compartilhando suas experiências
com a criação de ACDs, que temos o maior
prazer em publicar.

Data da publicação original: 13/04/2015