Imprimir Canil Haras La Pampa
10/03/2018
Criadores de ACD no Brasil - parte II

Criadores de ACD no Brasil - parte II

Dentição canina

Já escrevi sobre a precariedade de várias, se não da maioria, das criações de ACD por esse país à fora. Pessoas que estão há muito tempo na criação, já produziram inúmeros filhotes e os venderam para muita gente boa, que acreditou neles, no seu conhecimento sobre a raça, e, é claro, no seu domínio absoluto e perseguição obstinada dos preceitos contidos no “padrão da raça” estabelecido pela CBKC – ou não seria isso a se esperar de um criador oficial da raça, com canil devidamente registrado?

 

Doce ilusão.

 

Conversando com um desses criadores, pessoa de longa jornada na criação, perguntei-lhe sobre a dentição de um casal do seu plantel, do qual tenho uma filha aqui comigo. Perguntei-lhe porque percebi que a mocinha, já com 8 meses, tem uma falta importante de dentes (a maioria dos pré-molares não está presente) e, pasmem, a resposta foi: “não sei, nunca reparei nisso, só vejo se vai no boi e morde”. Achei estranho, e argumentei que numa exposição, se um juiz percebe falta de dentes em um exemplar, no mínimo tira-lhe pontos; mais uma vez a resposta foi “mais não vou em exposição, por isso meu foco é outro”.

 

Desculpe-me o experiente criador, mas foco somente em um aspecto esquecendo dos demais, parece-me totalmente equivocado, para dizer o mínimo.

 

Que decepção!

 

Deve ser por isso que vemos atualmente tantos “ACDs”, ditos “puros”, com orelhas enormes, caudas mal implantadas, linhas de dorso horríveis (“selados”), e muitos sem dentes; sem falar da pelagem que cada vez mais se afasta do padrão, especialmente nos “Red”.

 

Decisão tomada: vou doar a cadelinha para algum fazendeiro que só queira que ela morda os bois, e não tenha nenhuma pretensão de criar filhotes. Eu é que não vou produzir, concientemente, filhotes desdentados aqui!

 

Grande futuro teremos, como criadores da raça, com esse desleixo e irresponsabilidade.

 

Quem sabe não é por essa razão que alguns criadores australianos tradicionais relutam muito, e na maioria das vezes não querem vender seus cães para o Brasil. Estão certos, se nada nem ninguém começar a preocupar-se com a qualidade dos nossos cães, em breve a raça estará desfigurada e totalmente desvalorizada em nosso país.

 

Guilherme Appel

Canil HLP